quarta-feira, 22 de julho de 2009

vivendo o vinho

Sabe, eu preferia que tu estivestes aqui em vez dessa garrafa. Eu preferia nem tê-la aberto. Mas a voz em mim fez com que eu fraquejasse. Sabe, o vômito virá após a próxima virada do copo. Mas não me importo, nao vou voltar atrás. Vai ver é mais válido do que voltar a pensar em ti. O vinho me olha e eu olho em volta. Vejo que nada é tão vácuo quanta a vaga lembrança de termos vivido uma fase. Vou me afogar nessa vasilha, na vã esperança de vencer esse vazio. Vou ver TV sem volume. Vou ficar vociferando. Investigando vírgulas em versos. Vivendo o vinho vagarosamente. Vitimizando-me pelo fracasso que eu mesmo inventei.

10 comentários:

Freak disse...

Aiii meu deus, que loseragemmm! Espero que não seja contagioso! ahsuaihsiuahsa

Falando sério? Uma droga, como sempre! hahaha

Tá, dessa vez eu vou fazer o comentário positivo aqui mesmo, pra não ficar parecendo que sou sempre a trouxa que fica falando mal dos teus textos.

Um troço que fala de ausência, vinho e tv sem volume não tinha como dar errado. Adorei!

Viu, bem simples! Até a parte do vômito ficou poética!

:)

Paulo Olmedo disse...

Valeu! :)

Freak disse...

Gostei mas não foi aqueeeela coisa, não te emociona. Ainda tens muito o que aprender. Por isso, visite meu blog periodicamente, quem sabe ajude!

hahaha

:D

luiz young disse...

Mas que tantos "V"s! A intenção era algo entre o bebum e o vento desses dias?

Paulo Olmedo disse...

A intenção era algo meio bebum e meio Cruz (endereço de belbo, tb) e Sousa... huauhahuauhauhauha

Leonardo disse...

Visceral.

Freak disse...

o paulinho só sabe falar em meleca. FATO!

disse...

v v v v :)

eu faço o mesmo,ao inves de vinho uso o chocolate.

Leo M. disse...

Adorei o conto! Fortemente... forte! :P~ Legal mesmo, Pulinho! ^^

Babi \o/ disse...

Gostei =]